Depressão na Adolescência

Depressão na Adolescência

Autor(a): Susana Silva, Psicóloga e Neuropsicóloga Clínica

 

A adolescência é um período de modificação, em que muitas mudanças físicas, psíquicas, afetivas e sociais ocorrem. Ao entrar na puberdade acontecem alterações hormonais e físicas, assim como novas capacidades de sentir, pensar e agir. A ligação que estabeleceu com os pais, desde os primeiros anos de vida, que contribuiu para a construção da segurança básica em si e nos outros, o afeto de si próprio, a confiança nas suas capacidades, vai ser determinante para enfrentar as profundas mudanças com que se confronta.
Nesta fase a qualidade das relações com os adultos (pais, professores, amigos) e a atenção que lhe dão, é de extrema importância para um bom desenvolvimento do adolescente.
A depressão na adolescência é um problema de saúde mental real, que pode interferir de maneira significativa na vida diária, nas relações sociais e no bem-estar geral do adolescente, podendo até levar ao suicídio. A depressão é assim uma doença que afeta todas as idades e estima-se que em 2020 seja a doença que mais afete a população geral.
A depressão não tem origem numa só causa mas sim em diversos fatores que aumentam a probabilidade da sua ocorrência, entre eles: fatores genéticos e biológicos - ser filho de pais que sofrem de depressão ou entrar na puberdade mais tardiamente; fatores psicológicos - insatisfação face à aparência, baixa autoestima ou problemas de ansiedade; fatores referente aos amigos - sentimentos de rejeição social, contacto reduzido com os amigos ou mesmo não haver proximidade com um melhor amigo; e fatores familiares - indisponibilidade emocional dos pais, conflitos familiares constantes, problemas de relacionamento com os pais ou com a escola, morte de um dos pais ou outra pessoa importante, separação dos pais e dificuldades financeiras.
O sentimento prolongado de tristeza interfere geralmente nos ciclos de sono, nos hábitos alimentares, na autoestima e nas relações sociais, provocando fadiga, dificuldades de concentração e tomada de decisões, baixo rendimento escolar e isolamento social. Os adolescentes mais novos podem não saber expressar o que sentem ou podem sentir-se desconfortáveis para fazê-lo, por isso, nestes casos expressam a depressão através de problemas de comportamento (irritável, agressivo) e de atuação. Estes adolescentes têm dificuldades de relacionar-se com os outros, incluindo colegas, irmãos, pais e professores. Nestes casos é muito difícil para os pais e professores perceberem que o adolescente precisa de ajuda e que está deprimido, assumindo muitas das vezes que é “mal comportado”, “rabugento”, “facilmente aborrecido”.
Já nos adolescentes mais velhos a manifestação da depressão, tende a ser através do humor deprimido e pensamentos constantemente negativos e críticos de si, dos outros e do mundo. Além disso o adolescente acredita que nunca se sentirá melhor ou que a sua vida dificilmente irá melhorar.
A depressão não é causada por uma fraqueza pessoal ou por falta de controlo, é uma doença médica que afeta o organismo, o humor, e a forma de pensar e sentir, que requer tratamento; quanto mais cedo se recorrer a ele, mais depressa aumentarão as probabilidades de diminuir o desgaste físico e psicológico que acarreta.
Se algum destes sintomas ocorrer no seu filho – e se se mantiver – é aconselhável consultar um psicólogo já que, quando o quadro depressivo não se resolve a tempo, pode tornar-se crónico e perdurar meses ou anos.


O que fazer?
Procure tratamento para o seu filho, dificilmente ele lhe vai dizer que precisa de ajuda. Lembre-se que mudanças no comportamento e perda de rendimento na escola é sinal de que alguma coisa não está bem com o seu filho, e pode estar perante uma depressão e por isso deve procurar ajuda de um psicólogo.
A depressão pode ser tratada com intervenção farmacológica ou psicoterapia, ou com a combinação das duas. Nestas idades, a psicoterapia é uma abordagem considerada de primeira linha. O tratamento tem como finalidade a resolução dos sintomas depressivos e melhoria do funcionamento intra e interpessoal, escolar, familiar e social do adolescente. A depressão leva a que o adolescente veja tudo com óculos escuros. A psicoterapia ajuda o adolescente a retirar lentamente esses óculos.
Não deixe passar mais tempo, procure ajuda.

 

Para mais informações, entre em contacto connosco ou marque a sua consulta através do 255 522 384.

 


ver todas as notícias